domingo, 20 de maio de 2018

INCLUSÃO SOCIAL

    Este esquema mostra um assunto muito discutido na sociedade atual principalmente na realidade escolar brasileira, a procura pela inclusão social dos portadores de necessidades.

Eu resumo esse assunto em uma frase:

" Viver em uma sociedade em condições igualitárias é um direito de todos"

sábado, 5 de maio de 2018

AS 10 CIDADES MAIS POLUÍDAS DO MUNDO


A partir de uma matéria da revista "Os Caminhos da Terra" de novembro de 2007 e de relatórios elaborados pela Cruz Verde Suíça e o Instituto Blacksmith, apresento-lhes as 10 cidades mais poluídas do mundo! E olha que Cubatão/SP não está nessa lista, pra se ter uma ideia da encrenca. Os campeões são os chineses e os antigos soviéticos (comunistas: sempre preocupados com o meio ambiente...).

10. Kabwe - Zâmbia
Até 1987, abrigou uma das maiores fundições de chumbo do mundo. Crianças que brincam em terras perto das extintas operações tem níveis quase letais de envenenamento. 


Kabwe - Zâmbia.


9. Chernobyl - Ucrânia
Em 1986, Chernobyl foi cenário do pior acidente nuclear da história. As partículas radioativas liberadas, incluindo urânio, plutônio, césio, entre outros metais, fizeram disparar os casos de câncer, principalmente de tireóide. Como medida para amenizar o problema, 5 milhões de hectares de terras próximo a usina foram inutilizados.

Chernobyl - Ucrânia.

8. Norilsk - Rússia
Quase todo o níquel utilizado no mundo sai de Norilsk. A neve da região fica cinza e o ar tem gosto de enxofre! Desde novembro de 2001, a cidade está fechada para estrangeiros.

Norilsk - Rússia.
7. Dzerzinsk - Rússia
Foi um dos mais importantes centros de produção de armas químicas durante a Guerra Fria. Devido a contaminação do solo, seus habitantes tem uma das menores expectativas de vida do mundo: mal chegam aos 45 anos.

Dzerzinsk - Rússia.
6. La Oroya - Peru
Cidade da América do Sul, La Oroya está na lista graças às minas de chumbo, zinco e cobre pertencentes a Doe Run (empresa dos EUA). Pesquisam apontam que 99% das crianças apresentam níveis de chumbo no sangue acima do "tolerável". 


5. Vapi - Índia
Depósito dos resíduos de mais de mil indústrias, incluindo petroquímicas e de pesticidas, a água da região contém 100 vezes mais mercúrio que o "aceitável", elevando o número de abortos espontâneos e os casos de câncer.


4. Sukinda - Índia
Olha a Índia aí de novo! Na cidade há o Rio Brahma (homenagem à divindade suprema do hinduísmo) que armazena 30 milhões de toneladas de resíduos cancerígenos lançados por uma mina de cromita (grande homenagem!). 80% das mortes locais estão ligadas as atividades da mina. 

Sukinda - Índia.

3. Tianying - China 
Cerca de 160 mil pessoas estão contaminadas por causa da concentração de chumbo no ar da cidade. Retardo mental e anemia estão entre os problemas que atingem a população. 

2. Linfen - China 
A necessidade de carvão para o crescimento econômico da China traz muitos problemas. A poluição no ar da cidade causa inconfortáveis casos de pneumonia e câncer de pulmão. A arsenicose ali já é tratada como epidemia.  

Linfen - China.

1. Sumqayit - Azerbaijão 
Não, não é Tromaville (a cidade do Vingador Tóxico) a cidade mais poluída do mundo! Herdeiros do legado tóxico da indústria soviética, os 275 mil habitantes de Sumqayit ainda sofrem por conta das 10 mil toneladas de gases nocivos lançados na atmosfera pelas 40 fábricas de produtos químicos da época comunista. A incidência de câncer é 51% maior ali que no resto do país.
Sumqayit - Azerbaijão.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

AGRICULTURA E ENERGIA, LADO A LADO



     Qual é a melhor maneira de utilizar a luz solar?

     Para cultivar alimentos ou para a produção de energia? 

   Durante milênios, a resposta foi fácil: nós usamos a energia solar para ajudar no crescimento das plantas para a alimentação. Então, na década de 1970, a resposta tornou-se mais complexa à medida que os campos de painéis fotovoltaticos (PVPS) começaram a aparecer em todo o planeta. Na década de 1990, os agricultores começaram o cultivo de alimentos para combustíveis como o etanol à base de milho. O problema é que a equação de combustível alimentos tornou-se um jogo de soma zero. 

    Isso levou o cientista agrícola francês Christian Dupraz a ponderar se a produção de alimentos e de combustível poderiam ser combinados com sucesso em um lote de terra. Por exemplo, por que não construir painéis solares acima de um campo de exploração agrícola para que a eletricidade e alimentos possam ser produzidos ao mesmo tempo? Além de resolver o conflito entre usos da terra, os painéis solares que fornecem uma fonte adicional de renda para os agricultores e, ao mesmo tempo protege as culturas do aumento das temperaturas, de granizo e tempestade destrutivas associados às mudanças climáticas. 

     Em 2010, Dupraz e seus colegas do INRA, instituto de pesquisa agrícola da França, construiram a primeira fazenda "agrivoltatic", perto de Montpellier. Em um campo de 860 metros quadrados, eles plantaram:
- culturas em quatro parcelas e dois adjacentes em pleno sol como controle.
- um em uma matriz padrão da densidade de painéis
- um em uma matriz de meia densidade de painéis. 

   Os pesquisadores consideraram a produtividade das culturas cairam na sombra, já que as plantas teriam de competir com os painéis solares para a radiação e, possivelmente, água. Mas eles também se perguntaram se, em um mundo em aquecimento, a sombra pode realmente melhorar a produtividade das culturas. "Sombra vai reduzir as necessidades de transpiração e, possivelmente, aumentar a eficiência da água", escreveu Dupraz. A chave seria encontrar o equilíbrio certo entre a electricidade produzida pelos painéis solares e capacidade de produção da fazenda. 

     No final de três estações de crescimento, os pesquisadores descobriram que o compromisso foi de fato possível. Não surpreendentemente, as culturas sob o PVP abaixo da sombra perderam quase 50 por cento da sua produtividade, em comparação com culturas semelhantes nas parcelas com sol. No entanto, as culturas sob o sombreamento de meia densidade eram tão produtivos quanto os nas parcelas de controle sem sombra; em alguns casos, eles foram ainda mais produtivo. 

     A razão para este resultado surpreendente, de acordo com Hélène Marrou, que estudou alface era a capacidade das plantas de se adaptarem as condições de baixa luminosidade. Ela relatou que as plantas de alface ajustaram-se ao ambiente, aumentando a sua área foliar e alterando arranjo da folha para colher a luz de forma mais eficiente. 

    Ela também teve boas notícias em relação a água. "Nós mostramos neste experimento que as hortaliças na sombra dos PVPs permitiu uma economia de 14 por cento a 29 por cento de água evapotranspirada, dependendo do nível de sombra criado e a cultura cultivada". No contexto do aquecimento global e escassez de água, segundo ela, a redução da demanda de água pelas plantas na sombra dos PVP´S podem representar uma grande vantagem em um futuro próximo.

terça-feira, 1 de maio de 2018

A IDEOLOGIA E O PATRIOTISMO POR TRÁS DOS FILMES E DESENHOS

Você viu o filme "Capitão América - O primeiro vingador", ou ao menos sabe que ele foi lançado aqui no Brasil? Pois é, em três outros países o nome do filme é outro, você sabe por quê?


Criado nos Estados Unidos em 1941 para lutar contra os nazistas, pelo menos na ficção, o Capitão América  foi o maior de uma onda de super-heróis surgidos sob a bandeira do patriotismo estadunidense. Contudo, seu novo filme lançado no Brasil dia 29 de julho de 2011, também foi lançado na Rússia, Ucrânia e Coreia do Sul, mas apenas com o nome de "O Primeiro Vingador". Os estúdios Marvel e Paramount, responsáveis por sua produção, deram a opção aos mercados estrangeiros de usarem os nomes "Capitão América - O Primeiro Vingador" ou somente "O Primeiro Vingador". Os estúdios se negaram a comentar o motivo de os países terem escolhido o outro nome, mas, de acordo com o site da revista "Hollywood Reporter", é provável que a escolha tenha levado em conta razões culturais e políticas.
Já na China, o filme não estreou no mesmo ano de seu lançamento por conta de uma lei que permite que apenas 20 filmes estrangeiros sejam exibidos anualmente no país.


Alguma semelhança entre o escudo do Capitão América (a esquerda) e o símbolo da Força Aérea dos EUA (USAF - a direita)?

Adaptado de folha.com.

Veja outro exemplo de patriotismo norte-americano presente em filmes e desenhos: em 1943 (mesma época da criação do Capitão América) o curta-metragem de animação Der Fuehrer's Face (A face do Führer) produzido pelos Estúdios Disney e protagonizado pelo Pato Donald, satirizava (até porque o Pato Donald não é um super-herói para combater alguma coisa) a Alemanha nazista de Adolf Hitler e exaltava os ideais de liberdade defendidos pelos EUA. Ele venceu o Oscar de melhor curta de animação e foi eleito o vigésimo segundo melhor curta de animação da história do cinema estadunidense de acordo com o livro The 50 Greatest Cartoons.
Assista à animação Der Fuehrer's Face  e preste atenção na mudança ideológica que ocorre a partir dos 7minutos.


 

Mas o que isso tudo tem a ver com Geografia?
Popeye come espinafre (Dólar), fica forte 
e bate no Brutus (a crise de 1929).
A ideia fundamental por trás desses filmes e desenhos carregados de ideologias é a de imperialismo. Basicamente, imperialismo é uma política de expansão e domínio territorial, cultural e econômico de uma nação sobre outras. Por isso, os três países mudaram o nome do filme do Capitão América! Considera-se os EUA a nação mais imperialista existente, contudo, sempre que existir algum tipo de relação de poder (econômico, cultural, científico, tecnológico etc.) haverá um povo, uma nação, tentando se impor sobre outros. O Brasil mesmo já foi acusado pelo Paraguai de ser imperialista (leia o caso aqui).
Em relação aos heróis (como o Capitão América) e outros personagens (como o Pato Donald), eles surgem em momentos específico da história de uma nação (como uma crise econômica ou uma guerra) para alimentar o ego do povo ou satirizar seus inimigos. O marinheiro Popeye, por exemplo, surgiu como um incentivo à superação da grande crise econômica de 1929, com a quebra da bolsa de valores de Nova York. A função do herói é nos salvar da realidade. Eles são arquétipos - símbolos universais que significam a mesma coisa em todas as culturas - das nossas necessidades de justiça, correção, força, invencibilidade. Como o Capitão América que, representando os EUA, salvaria o mundo dos nazistas.

Você consegue relacionar esse tema com algum herói ou personagem brasileiro? 

domingo, 29 de abril de 2018

VOCÊ ACHA QUE O MENU DO MCDONALD`S É O MESMO EM TODOS OS LUGARES DO MUNDO?

      Um professor de geografia compilou imagens e descrições dos menus dos McDonalds de todo o mundo e colocou em um storymap ESRI. Este recurso interativo mostra como uma marca global de sucesso como McDonald`s deve ser flexível com os gostos e costumes locais para aumentar o seu lucro e fortalecer a sua marca. Alguns chamam isso "glocalização".





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...