Mostrando postagens com marcador Curiosidades Geográficas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Curiosidades Geográficas. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 26 de junho de 2018

LADA, O CARRO RUSSO NO BRASIL



Carros da marca Lada chegando ao Brasil – Foto: Reprodução Internet

Você sabia que no Brasil já tivemos carros de uma marca russa circulando pelas ruas? Não?

Tudo começou em 1990, quando o então presidente Fernando Collor assinou uma medida provisória que liberava a importação de veículos estrangeiros no país.

Aproveitando a onda, a empresa russa Lada entrou com tudo no mercado brasileiro.

Fonte: https://goo.gl/ucKFVd

segunda-feira, 25 de junho de 2018

ONDA DE LIXO

1.580 kg de lixo para visualizar a quantidade de plástico que entra no oceano a cada hora.


domingo, 24 de junho de 2018

POPULAÇÃO


" Há mais pessoas vivendo dentro deste circulo do que fora dele".

10 PAISAGENS ROCHOSAS INCRÍVEIS!

Formadas e esculpidas ao longo de milhões de anos, estas paisagens de tirar o fôlego também revelam segredos sobre o passado e o futuro da Terra.

Chaminés de Fada, Turquia.


Olho da África, Mauritânia.

Relevo Danxia, China.

Floresta de Pedra de Shilin, China.

Wave Rock, Austrália.

Colinas de Chocolate, Filipinas.

Calçada dos Gigantes, Irlanda.

Bryce Canyon, EUA.

Vermillion Cliffs, EUA.

Caverna dos Cristais, México.
Localize no mapa as regiões das paisagens:


Fonte: BBC.

terça-feira, 19 de junho de 2018

domingo, 10 de junho de 2018

10 IMAGENS MOSTRANDO O QUE A SECA CAUSARIA EM ALGUNS PONTOS TURÍSTICOS MUNDIAIS

O aquecimento global é uma das ameaças que são constantemente lembradas em todos os lugares. Há uma estimativa de que em alguns anos, nada será como é atualmente, e foi nisso que Joel Krebs se baseou para criar essa série de imagens mostrando como alguns lugares do mundo ficariam com a seca mundial.
Torre Eiffel, Muralha da China, Cristo Redentor, entre outros pontos, foram os alvos do artista para tocar a população sobre esse efeito ambiental.

1 – Torre Eiffel

pontos-turisticos-seca-1

2 – Muralha da China

pontos-turisticos-seca-2

3 – Machu Picchu

pontos-turisticos-seca-3

4 – Cataratas do Niágara

pontos-turisticos-seca-4

5 – Ilha de Páscoa

pontos-turisticos-seca-5

6 – Taj Mahal

pontos-turisticos-seca-6

7 – Tower Bridge

pontos-turisticos-seca-7

8 – Lago Crater

pontos-turisticos-seca-8

9 – Stonehenge

pontos-turisticos-seca-9

10 – Cristo Redentor

pontos-turisticos-seca-10

MARCAS DA DITADURA MILITAR

Ilustração do desenhista Bruno Maron mostrando os métodos de tortura praticados durante o Regime Militar no Brasil.


quarta-feira, 23 de maio de 2018

O QUE É UMA TEMPESTADE SOLAR?

  Tempestades solares ou tempestades geomagnéticas são explosões na superfície do Sol que causam mudanças repentinas no campo magnético da Terra. Altamente carregadas, as partículas solares em forma de radiação (chamadas também de ventos solares) podem atingir o campo magnético da Terra e interromper algumas comunicações de rádio e degradar sinas de GPS. Tempestades do passado já afetaram a rede elétrica de países. No entanto, as tempestades geomagnéticas também podem causar belas auroras nos pólos. 

Imagem captada pelo astronauta americano Reid Wiseman, que está na Estação Espacial Internacional, mostra a aurora boreal sobre a Terra. 11 de setembro de 2014.

  Em média, a cada 11 anos, o Sol passa por períodos nos quais ocorrem a diminuição e o aumento de suas atividades. Nos períodos de aumento, as explosões em sua superfície levantam uma nuvem de partículas 13 vezes maior que a Terra, que é lançada para o Sistema Solar a mais de 1,6 milhão km/h. Esse fenômeno arrasta gases evaporados dos planetas, poeira meteórica e raios cósmicos de origem galáctica que podem atingir o campo magnético da Terra, momento em que provoca as tempestades geomagnéticas e alteram a intensidade e a direção do campo magnético terrestre.

Imagem captada pelo Observatório Solar da Nasa no dia 10 de setembro de 2014 mostra explosões solares.
  Partículas de alta energia liberadas pelas erupções solares podem ser tão prejudiciais aos seres humanos quanto à radiação das explosões nucleares. Portanto, se as grandes doses são fatais, as demais também podem provocar danos aos cromossomos, câncer e muitos outros problemas de saúde. Por isso, o Sol é monitorado constantemente, para que providências possam ser tomadas com antecedência contra os efeitos nocivos das tempestades geomagnéticas.

  Veja imagens captadas pela NASA das atividades solares do dia 10 de setembro de 2014.


  Um aviso antecipado de uma tempestade geomagnética permite que as distribuidoras de energia elétrica evitem danos em suas redes e que satélites, naves espaciais e astronautas possam ser protegidos. Até passageiros de aviões sofrem algum risco que, embora seja pequeno, equivale a uma dose de radiação igual a dos raios-x médicos. Nesse caso, graças ao monitoramento, a trajetória e a altitude dos voos são ajustadas, a fim de baixar as doses absorvidas por eles.

Aviso no canal de TV via satélite sobre a interferência solar no satélite. 2014.

  A tempestade solar mais poderosa registrada ocorreu em 1859 e causou assustadoras auroras boreais até mesmo na Flórida. Já entre os dias 7 e 10 de setembro de 2014 uma região magneticamente conturbada do Sol explodiu e produziu duas tempestades solares que atingiram a Terra entre os dias 11 e 12 deste mês. O Sol está atualmente no pico de seu ciclo de 11 anos, embora o nível global de atividade esteja muito menor do que o típico para um pico solar.


quarta-feira, 2 de maio de 2018

AGRICULTURA E ENERGIA, LADO A LADO



     Qual é a melhor maneira de utilizar a luz solar?

     Para cultivar alimentos ou para a produção de energia? 

   Durante milênios, a resposta foi fácil: nós usamos a energia solar para ajudar no crescimento das plantas para a alimentação. Então, na década de 1970, a resposta tornou-se mais complexa à medida que os campos de painéis fotovoltaticos (PVPS) começaram a aparecer em todo o planeta. Na década de 1990, os agricultores começaram o cultivo de alimentos para combustíveis como o etanol à base de milho. O problema é que a equação de combustível alimentos tornou-se um jogo de soma zero. 

    Isso levou o cientista agrícola francês Christian Dupraz a ponderar se a produção de alimentos e de combustível poderiam ser combinados com sucesso em um lote de terra. Por exemplo, por que não construir painéis solares acima de um campo de exploração agrícola para que a eletricidade e alimentos possam ser produzidos ao mesmo tempo? Além de resolver o conflito entre usos da terra, os painéis solares que fornecem uma fonte adicional de renda para os agricultores e, ao mesmo tempo protege as culturas do aumento das temperaturas, de granizo e tempestade destrutivas associados às mudanças climáticas. 

     Em 2010, Dupraz e seus colegas do INRA, instituto de pesquisa agrícola da França, construiram a primeira fazenda "agrivoltatic", perto de Montpellier. Em um campo de 860 metros quadrados, eles plantaram:
- culturas em quatro parcelas e dois adjacentes em pleno sol como controle.
- um em uma matriz padrão da densidade de painéis
- um em uma matriz de meia densidade de painéis. 

   Os pesquisadores consideraram a produtividade das culturas cairam na sombra, já que as plantas teriam de competir com os painéis solares para a radiação e, possivelmente, água. Mas eles também se perguntaram se, em um mundo em aquecimento, a sombra pode realmente melhorar a produtividade das culturas. "Sombra vai reduzir as necessidades de transpiração e, possivelmente, aumentar a eficiência da água", escreveu Dupraz. A chave seria encontrar o equilíbrio certo entre a electricidade produzida pelos painéis solares e capacidade de produção da fazenda. 

     No final de três estações de crescimento, os pesquisadores descobriram que o compromisso foi de fato possível. Não surpreendentemente, as culturas sob o PVP abaixo da sombra perderam quase 50 por cento da sua produtividade, em comparação com culturas semelhantes nas parcelas com sol. No entanto, as culturas sob o sombreamento de meia densidade eram tão produtivos quanto os nas parcelas de controle sem sombra; em alguns casos, eles foram ainda mais produtivo. 

     A razão para este resultado surpreendente, de acordo com Hélène Marrou, que estudou alface era a capacidade das plantas de se adaptarem as condições de baixa luminosidade. Ela relatou que as plantas de alface ajustaram-se ao ambiente, aumentando a sua área foliar e alterando arranjo da folha para colher a luz de forma mais eficiente. 

    Ela também teve boas notícias em relação a água. "Nós mostramos neste experimento que as hortaliças na sombra dos PVPs permitiu uma economia de 14 por cento a 29 por cento de água evapotranspirada, dependendo do nível de sombra criado e a cultura cultivada". No contexto do aquecimento global e escassez de água, segundo ela, a redução da demanda de água pelas plantas na sombra dos PVP´S podem representar uma grande vantagem em um futuro próximo.

terça-feira, 1 de maio de 2018

A IDEOLOGIA E O PATRIOTISMO POR TRÁS DOS FILMES E DESENHOS

Você viu o filme "Capitão América - O primeiro vingador", ou ao menos sabe que ele foi lançado aqui no Brasil? Pois é, em três outros países o nome do filme é outro, você sabe por quê?


Criado nos Estados Unidos em 1941 para lutar contra os nazistas, pelo menos na ficção, o Capitão América  foi o maior de uma onda de super-heróis surgidos sob a bandeira do patriotismo estadunidense. Contudo, seu novo filme lançado no Brasil dia 29 de julho de 2011, também foi lançado na Rússia, Ucrânia e Coreia do Sul, mas apenas com o nome de "O Primeiro Vingador". Os estúdios Marvel e Paramount, responsáveis por sua produção, deram a opção aos mercados estrangeiros de usarem os nomes "Capitão América - O Primeiro Vingador" ou somente "O Primeiro Vingador". Os estúdios se negaram a comentar o motivo de os países terem escolhido o outro nome, mas, de acordo com o site da revista "Hollywood Reporter", é provável que a escolha tenha levado em conta razões culturais e políticas.
Já na China, o filme não estreou no mesmo ano de seu lançamento por conta de uma lei que permite que apenas 20 filmes estrangeiros sejam exibidos anualmente no país.


Alguma semelhança entre o escudo do Capitão América (a esquerda) e o símbolo da Força Aérea dos EUA (USAF - a direita)?

Adaptado de folha.com.

Veja outro exemplo de patriotismo norte-americano presente em filmes e desenhos: em 1943 (mesma época da criação do Capitão América) o curta-metragem de animação Der Fuehrer's Face (A face do Führer) produzido pelos Estúdios Disney e protagonizado pelo Pato Donald, satirizava (até porque o Pato Donald não é um super-herói para combater alguma coisa) a Alemanha nazista de Adolf Hitler e exaltava os ideais de liberdade defendidos pelos EUA. Ele venceu o Oscar de melhor curta de animação e foi eleito o vigésimo segundo melhor curta de animação da história do cinema estadunidense de acordo com o livro The 50 Greatest Cartoons.
Assista à animação Der Fuehrer's Face  e preste atenção na mudança ideológica que ocorre a partir dos 7minutos.


 

Mas o que isso tudo tem a ver com Geografia?
Popeye come espinafre (Dólar), fica forte 
e bate no Brutus (a crise de 1929).
A ideia fundamental por trás desses filmes e desenhos carregados de ideologias é a de imperialismo. Basicamente, imperialismo é uma política de expansão e domínio territorial, cultural e econômico de uma nação sobre outras. Por isso, os três países mudaram o nome do filme do Capitão América! Considera-se os EUA a nação mais imperialista existente, contudo, sempre que existir algum tipo de relação de poder (econômico, cultural, científico, tecnológico etc.) haverá um povo, uma nação, tentando se impor sobre outros. O Brasil mesmo já foi acusado pelo Paraguai de ser imperialista (leia o caso aqui).
Em relação aos heróis (como o Capitão América) e outros personagens (como o Pato Donald), eles surgem em momentos específico da história de uma nação (como uma crise econômica ou uma guerra) para alimentar o ego do povo ou satirizar seus inimigos. O marinheiro Popeye, por exemplo, surgiu como um incentivo à superação da grande crise econômica de 1929, com a quebra da bolsa de valores de Nova York. A função do herói é nos salvar da realidade. Eles são arquétipos - símbolos universais que significam a mesma coisa em todas as culturas - das nossas necessidades de justiça, correção, força, invencibilidade. Como o Capitão América que, representando os EUA, salvaria o mundo dos nazistas.

Você consegue relacionar esse tema com algum herói ou personagem brasileiro? 

domingo, 29 de abril de 2018

VOCÊ ACHA QUE O MENU DO MCDONALD`S É O MESMO EM TODOS OS LUGARES DO MUNDO?

      Um professor de geografia compilou imagens e descrições dos menus dos McDonalds de todo o mundo e colocou em um storymap ESRI. Este recurso interativo mostra como uma marca global de sucesso como McDonald`s deve ser flexível com os gostos e costumes locais para aumentar o seu lucro e fortalecer a sua marca. Alguns chamam isso "glocalização".





domingo, 22 de abril de 2018

A EVOLUÇÃO DO INVENTÁRIO DE GUERRA DE UM SOLDADO

   As fotografias a seguir foram feitas por Thom Atkninson e revelam a transformação dos equipamentos de um soldado inglês ao logo dos séculos, acompanhando as tecnologias de cada época.

1066 - Soldado huscarl: Batalha de Hastings

1244 - Cavaleiro: Cerco de Jerusalém

1415 - Arqueiro: Batalha de Angicourt

1485 - Milícia de York: Batalha de Bosworth

1588 - Soldado armado com arcabuz: Tilbury

1645 - Mosqueteiros: Batalha de Naseby 

1709 - Soldado raso: Batalha de Malplaquet

1815 - Soldado raso: Batalha de Waterloo

1854 - Soldado raso, brigada de rifles: Batalha de Alma

1916 - Soldado raso: Batalha de Somme (Primeira Guerra Mundial)

1944 - Paraquedista: Batalha de Arnhem (Segunda Guerra Mundial)

1982 - Comando da Marinha Real: Guerra das Malvinas

2014 - Engenheiros Reais

   A evolução da tecnologia é um importante fator de modernização da guerra. Isto fica evidente com esta série de fotos. Por exemplo: o rifle de ferrolho foi substituído por fuzis de assalto com mira a laser e túnicas de lã substituídas por coletes de Kevlar. O que não mudou foram os objetivos das guerras, infelizmente.

Fonte: BlazePress

segunda-feira, 16 de abril de 2018

VESÚVIO ANTES E DEPOIS DA ERUPÇÃO DE 79 D.C.



Comparação hipotética da estrutura morfológica vulcânica da soma-Vesúvio antes e depois da erupção de 79 D.C. pelo post de Vicente marasco, iconografia vesuviana de gennaro Regina. A sua forma no momento da erupção pode ser colocada com base nos restos das encostas da soma. Estrabão, vivido de 63 A.C. a 19 d. C., descreve o vulcão como um monte rodeado de belas campanhas, excepto no topo, em grande parte plana, estéril e cheia de cavernas. Lúcio Aneu Floro (98-138) e outros autores (velleio patérculo, primeira metade do os d.c.; Plutarco, 47-127) que contaram a fuga de spartacus no Vesúvio (73-71 A.C.), não falam de um duplo topo Ou de um cone fechado dentro de outro, mas dão-lhe uma descrição muito próxima da de estrabão. Mesmo as poucas imagens que talvez retratam o vesúvio de então, um fresco de Pompeia conservado no museu de Nápoles e um de Herculano desaparecido, representam apenas uma montanha. 

domingo, 15 de abril de 2018

MICHAEL GEÓGRAFO JORDAN


Michael Jordan é formado em GEOGRAFIA CULTURAL pela Universidade da Carolina do Norte. 

ARMAS QUÍMICAS NA SÍRIA


Utilizou e até hoje não pagou por isso, como diz no filme O VENENO ESTÁ NA MESA.
" A Monsanto repassa a fatura para o governo Norte Americano que entrega a fatura a Deus"

Ps: Tanto o Agente Laranja como o Napalm não são considerados. Mas cá entre nós, será que não são considerados porque foi os EUA quem utilizou?

Fonte: https://goo.gl/VDk6jK

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...